quarta-feira, novembro 28

A sua cama, carrossel de parque: a cidade pequena, a boca grande e a crueza das pessoas.


A sua cama, carrossel de parque, picadeiro de circo, bailarinas e fadas. Essa magia de beira de estrada que só os palhaços tem.

Assim como no circo, um espetáculo sucede o outro,  cada artista faz seu número, independente do sucesso ou fracasso, de aplausos ou vaias. 
O entra e sai por trás da cortina é o que o movimenta o circo, é o que faz dele a atração do lugar. A sua cama, carrossel de parque.

Quando o circo exaspera suas noites de brilho é hora de partir para outra cidade, para outra rotina, pegar a estrada, outras bailarinas, outras fadas, desmontar o carrossel e trocar de lugar os cavalinhos e as vaquinhas.

Até que se encha de novo, a cama, a carrossel, o picadeiro, as fadas, bailarinas e vaquinhas.

Não se enche o mundo de tanto luzir de tomada, de tanta luz falsa, de tanto vazio depois das onze, de tanto espetáculo de conhecido e igual final?

A próxima rodada do carrossel, a próxima noite no picadeiro, a próxima vaquinha a ser montada, as fadas e bailarinas no contorcer a caber na sua cama respondem: a cidade pequena, a boca grande e a crueza das pessoas.


















Um comentário:

Anônimo disse...

Hello. And Bye.