sábado, julho 21

Carruagem pluma

Com todas as palavras ditas, caminha a carruagem sem saber do paradeiro
de suas rodas.
A carruagem se arrasta, terra em senda, só com o oco da carcaça.
As rodas, madeira pura, grudaram no caminho, meio da lama, areia funda, calcário.
A carruagem segue porque ela é feita pra isso.
As rodas, embora embotadas de movimento, prendem-se ao caminho, ao que as faz rodar, posto que são rodas.
Mas a carruagem, mesmo sem toda a desenvoltura circular que a faz girar no mundo, será sempre uma carruagem, ainda que parada, ainda que distante, ainda que vazia: uma carruagem.

Nenhum comentário: